23 de novembro de 2011 0 comentários

Cântico Eterno

O mês de novembro é considerado o mês da música. E nesta ocasião, publico aqui no blog a pastoral escrita pelo meu pastor Sebastião Augusto da Silva. Leia e seja edificado!

CÂNTICO ETERNO

“Cantarei para sempre as tuas misericórdias, ó Senhor; os meus lábios proclamarão a todas as gerações a tua fidelidade”. (Salmo 89:1).

Os servos de Deus cantam eternamente, porque os seus louvores de gratidão a Deus permanecem também no céu e na glorificação eterna de Deus.

João, no seu exílio, “... Viu os vencedores da besta, da sua imagem e do número do seu nome, que se achavam em pé no mar de vidro, tendo harpas de Deus; e entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grande e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das Nações!”. (Apoc. 15: 2 e 3).

Sim, nós cantaremos no céu os cânticos de adoração e expressaremos a nossa gratidão eterna ao Senhor de nossas vidas: Jesus Cristo.

O salmista promete cantar para sempre as misericórdias celestiais. Temos motivos para celebrar a Deus, temos motivos para ser gratos ao Senhor, através dos nossos cânticos eternos. Nosso cântico tem uma função específica: destacar as misericórdias divinas. Quantos livramentos, cuidados, consolos e bondades derramados, em nossas vidas com o passar do tempo? Os cânticos antigos expressam com mais constância os benefícios do Senhor nas vidas daqueles que foram alcançados pela Graça Eterna.

O salmista, neste cântico eterno, promete ainda a proclamar a todas as gerações a fidelidade divina. Não fosse a fidelidade de Deus estaríamos perdidos, condenados, afastados do aconchego do Senhor eterno, mas o nosso Deus é fiel e longânimo e, por isso, tem paciência para suportar nossas rebeldias e superficialidades que apresentamos no nosso viver diário.

O salmista além de louvar o Senhor pela sua aliança com o Rei Davi, (1-4), ele destaca o caráter divino, na condução do Rei Davi e seu povo, (5-18), e diz: “Celebram os céus as tuas maravilhas, ó Senhor, e, na assembléia dos santos, a tua fidelidade”. (Salmo 89:5). A fidelidade de Deus impacta o nosso coração ao ver expressado essa gratidão a Deus, neste cântico eterno.

A lição que fica é que nos nossos cânticos de louvor a Deus não pode faltar o reconhecimento pela misericórdia e a bondade do Senhor e nem o entendimento da fidelidade sólida, que mantém suas promessas e suas bênçãos, mesmo diante da superficialidade de nossa fé e adoração tão inconstantes.

Sejamos amados irmãos uma igreja que celebra e exalta, através dos nossos louvores de adoração, as infinitas misericórdias que nos alcançaram e a fidelidade eterna deste Deus de amor. Amém!

Pr. Sebastião Augusto da Silva

Pastor Titular da SIB em Búzios e Missionário Mobilizador da JMM

22 de novembro de 2011 0 comentários

Conheça o Ministério Bruna Tavares #Metanoia

Conheça um pouco mais o Ministério Bruna Tavares, que estará conosco no #Metanoia - Dia 25.11.2011 (sexta-feira), às 19h30min, na Segunda Igreja Batista em Búzios.

2 comentários

#Metanoia

Dia 25.11 (sexta-feira), às 19h30min, na Segunda Igreja Batista em Búzios. Você não pode perder! Testemunho da Ex-BBB7 Bruna Tavares, e louvor com a UnijovemSIB. Te espero lá!

12 de novembro de 2011 0 comentários

Simplicidade e permanência - Por Ricardo Barbosa

Simplicidade e permanência

Ricardo Barbosa de Sousa

De vez em quando gosto de reler “Cartas de um Diabo a seu Aprendiz”, de C. S. Lewis. Sua habilidade em perscrutar os labirintos da tentação me impressionam. Ele nos ajuda a reconhecer nossa enorme ingenuidade e a profunda sagacidade do inimigo.

Em uma dessas cartas, o Diabo reconhece que o verdadeiro problema dos cristãos é que eles são “simplesmente” cristãos. O laço que os une é a vida comum que eles têm em Cristo. Ele então aconselha seu sobrinho: “O que nós desejamos, se não houver mesmo jeito e os homens tiverem de tornar-se cristãos, é mantê-los num estado de espírito que eu chamo de cristianismo e alguma outra coisa [...]. Substitua a fé em si por alguma moda com colorido cristão. Faça com que tenham horror à Mesma Coisa de Sempre”.

A “mesma coisa de sempre” nos deixa entediados. Ser “simplesmente” cristão, para muitos, não é suficiente. Precisamos de coisas novas. Sempre. Modelos novos de igreja, um jeito diferente de cantar, formas inovadoras de culto, estratégias sofisticadas de crescimento, e por aí vai. Somos movidos pelas novidades, não pela profundidade. Nosso interesse está na variedade, não na densidade.

O reverendo A. W. Tozer, num artigo intitulado “A velha e a nova cruz”, comenta o mesmo fenômeno: “Uma nova filosofia brotou dessa nova cruz com respeito à vida cristã, e dessa nova filosofia surgiu uma nova técnica evangélica -- um novo tipo de reunião e uma nova espécie de pregação. Esse novo evangelismo emprega a mesma linguagem que o velho, mas o seu conteúdo não é o mesmo e sua ênfase difere da anterior”.

O Diabo, na carta ao seu sobrinho aprendiz, diz: “O horror pela mesma coisa de sempre é uma das mais preciosas paixões que incutimos no coração humano -- uma fonte infinita de conselhos estúpidos, de infidelidade conjugal e de inconstâncias na amizade”. A lista poderia se estender, mas o que se encontra por trás desse “horror pela mesma coisa de sempre” é a grande atração pelo novo seguida de uma profunda distração pelo essencial. O que a novidade faz é direcionar nossa atenção para outras preocupações, dando mais valor aos meios e não aos fins.

A formação espiritual cristã sempre requereu, basicamente, obediência a Cristo no seu chamado a proclamar o evangelho, fazer discípulos, integrá-los numa comunidade trinitária e ensiná-los a guardar a sua palavra. Ensiná-los a se comprometerem com o serviço como expressão de amor para com o próximo e com o cultivo e a prática de disciplinas espirituais como oração, jejum, arrependimento, confissão, leitura e meditação nas Escrituras e contemplação.

Não importa o quanto nossas igrejas e ministérios sejam sofisticados. Não importa o volume de novidades e tecnologias que oferecemos. Se no final não encontrarmos as mesmas coisas de sempre, significa que nos perdemos com o meio e não alcançamos o fim.

Existem dois aspectos que considero fundamentais na experiência espiritual cristã: simplicidade e permanência. Quando perguntaram para Jesus como o reino de Deus viria, ele respondeu afirmando o seu caráter discreto. Não viria com grande estardalhaço. Se estabeleceria dentro daqueles que o confessam como Senhor e Rei. Jesus apresenta um evangelho que transforma de dentro para fora. O que o vaso contém é infinitamente maior e mais valioso que o vaso. Ele cresce como uma pequena semente de mostarda. A simplicidade está na natureza própria do evangelho.

A permanência define o caráter pessoal e relacional da fé. Permanecer em Cristo é permanecer ligado como galho na videira. É somente nessa permanência que recebemos de Cristo sua vida e a transmitimos aos outros. Permanecer é mais do que conhecer -- é manter-se em constante e dinâmico relacionamento. As novidades não transformam o caráter; a permanência, sim. Para C. S. Lewis, a maturidade é algo que “todos alcançam na velocidade de sessenta minutos por hora, independentemente do que façam e de quem sejam”.

Ricardo Barbosa de Sousa é pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto e coordenador do Centro Cristão de Estudos, em Brasília. É autor de “Janelas para a Vida” e “O Caminho do Coração”.

Artigo extraído da edição 327 da Revista Ultimato
2 de novembro de 2011 0 comentários

Semana da Reforma #006


Uma nova reforma?

Ontem enquanto lia os textos da Semana da Reforma, meu pai fez um comentário que levou a refletir. Ele disse: "Será mesmo que precisamos de uma nova reforma, ou seria melhor derrubar e fazer tudo outra vez?!"

E você? O que pensa?
0 comentários

A morte da morte

A morte da morte

Leia abaixo o convite de Jair Cordeiro, personagem fictício do autor. No dia do seu sepultamento, Jair convida a todos e todas para um enterro muito mais solene: o da morte.

Convite de Jair Cordeiro
Agradeço sinceramente a todos que vieram ao meu sepultamento hoje pela manhã: parentes, companheiros de fé e amigos. Vocês foram muitos atenciosos comigo e com minha família. Deus os abençoe.

Aproveito a comoção do momento para dar testemunho da minha esperança em Cristo, meu Salvador e Senhor meu. Mantive, ampliei e preguei até ontem, dia da minha partida, uma fé simples e bem firmada no sacrifício vicário e na pessoa de Jesus Cristo. Dou graças a Deus porque Ele arrancou o véu e me deixou ver o Senhor por meio das Escrituras.
Agora quero fazer um convite muito solene. Convido-os para o enterro da morte. Não posso fornecer-lhes a data nem o horário, mas, suponho, não vai demorar muito. Ela está morrendo aos poucos. Não há como escapar.

Por favor, não coloquem luto nem roupas sérias. Venham o mais informal possível, com peças bem coloridas. Todos quantos conhecem música, tragam seus instrumentos de corda e de sopro. De percussão também. As cornetas serão muito bem-vindas. Façam alarde e muito barulho. Pulem, dancem, levantem as mãos para o alto, mexam-se à vontade. Em qualquer outro enterro, isso seria impossível. Mas, no enterro da morte, tudo é possível. É dia de festa e não de dor.

Ao convidá-los para o único enterro festivo da história, parto do pressuposto de que vocês também acreditam na morte da morte. Não tenham a menor dúvida: a morte vai morrer. Além de ser um fato absolutamente lógico sob a perspectiva cristã, está escrito: “O último inimigo a ser destruído é a morte” (1 Co 15.26). Desde que foi assunto aos céus e assentou-se à direita de Deus, Jesus Cristo está colocando debaixo de seus pés todos os poderes do mal. Em sua agenda, a morte da morte está em último lugar.

Não os convido para uma revanche contra a morte. Convido-os para a mais solene de todas as comemorações jamais realizadas. Hoje proclamamos pela fé: “Onde está, ó morte, a tua vitória? onde está, ó morte, o teu aguilhão?” (1 Co 15.55.) Amanhã, no cortejo festivo da morte, não será por fé, mas por olhos. A festa é indispensável. Lembrem-se de quantas vezes vocês vieram aos cemitérios deste mundo para sepultar, debaixo de muita dor e muitas lágrimas, o cônjuge de muitos anos ou o filhinho de poucos anos. Naquele tempo era a vez da morte. Por ocasião da morte da morte, será a nossa vez. Se vocês ainda têm alguma dúvida, leiam o que está registrado na penúltima página da Bíblia: “Não haverá mais morte, nem lamento, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou” (Ap 21.4).

Ah, já ia me esquecendo de fazer uma sugestão: cantem a quatro vozes no enterro da morte o grande coro Aleluia, do oratório O Messias, de George Frederico Handel, entoado pela primeira vez em 1742.

31 de outubro de 2011 0 comentários

Semana da Reforma #005

Lutero, o facebook e a meia ungida

O século XVI foi o século do Medo, como foram tantos outros da Idade Média: a Europa se viu invadida pelos turcos, pestes dizimavam populações inteiras, no entanto, um dos maiores medos que dominavam as mentes da época, foi sem dúvida, o medo religioso. E esse medo estava presente no cotidiano de todos. Um exemplo disso estava retratado literalmente na parede da Igreja do Castelo de Wittenberg: Jesus aparecia muito bem pintado, sentado num arco-íris, com espada na mão e de seus olhos saíam raios de fogo. As pessoas que ali passavam viam “esse” Jesus. Era de dar medo, de fazer as criancinhas terem pesadelos à noite e seus pais perderem o sono...

A culpa, e o seu consequente medo faziam morada nos corações. Lutero deve ter passado por muitas dessas culpas e medos. Imagino suas noites insones atormentado pelos seus pecados e sem ver saída dentro do mundo a qual estava confinado. Sua biografia relata as penitências a que se submetia.

A Igreja corrompida da época se utilizou muito bem disso. Ora, o medo é um dos pais da exploração e da opressão, e dessa forma o verso: “assim que a moeda cair no fundo do cofrinho, a alma sairá do purgatório direto para o Paraíso” , foi inúmeras vezes cantado, aliviando por um tempo a alma de muitos que pensavam ter liberto do purgatório seus entes queridos já mortos, com a tão famosa venda de indulgências.

Lutero usou o facebook da época: o mural de recados da Igreja do Castelo de Wittenberg e “postou” ali 95 questões contra a venda de passagens para o Céu, a venda de indulgências, e tantos outros descalabros cometidos pelo Clero, com os quais, à luz da Bíblia, não se conformava. Com as 95 teses Lutero pedia um debate teológico sobre o que elas significavam. Creio que Lutero não imaginava o impacto e a mudança que seu “post” iria trazer para a história da humanidade. As 95 Teses foram logo traduzidas para o alemão e amplamente copiadas e impressas. Ao cabo de duas semanas se haviam espalhado por toda a Alemanha e, em dois meses, por toda a Europa. Ou seja, milhares “curtiram” o que Lutero escreveu.

Lutero no seu tempo, confronta sua realidade com as verdades do Reino de Deus, como fizeram Amós, Ezequiel, Paulo e o próprio Jesus.

Cabe a nós, profetas de nosso tempo, confrontarmos a nossa realidade à luz da Palavra , como Lutero que queria resgatar a Igreja Apostólica. Vemos o crescimento do Islã enquanto Igrejas Cristãs na Europa fecham suas portas ou alugam seus templos para casas de espetáculos. Aqui no Brasil assistimos igrejas com “sotaques” evangélicos, que nada tem a ver com a essência da Igreja Apostólica, que envergonhariam o próprio João Tetzel.

Hoje temos as modernas “indulgências” na forma de meias, cajados, azeites, cajados com azeite... Muitos ainda querem se livrar de suas culpas e não atentam para o que em Romanos 1:17 chamou a atenção de Lutero há quase 500 anos. E é o que para nós precisa, deve e tem que ser importante : resgatar a essência do pensamento reformador: “O justo viverá pela fé”!

Autor

Geruza Rodrigues de Freitas Rocha

Estudante de Teologia - Igreja Batista do Flamboyant (Campos/RJ)

0 comentários

Semana da Reforma #004


SACERDÓCIO UNIVERSAL DO CRENTE


Dentre os pilares da Reforma Protestante que existem, o que mais me fascina é o “Sacerdócio Universal do Crente”. A idéia trazida à luz por Martinho Lutero é bíblica, verdadeira, praticável e não utópica e nem dogmática. Quando Jesus Cristo morreu, a Bíblia relata que “o véu do templo se rasgou em duas partes”, do alto ao chão, dessa forma a figura do Sacerdote ficou ofuscada, e até mesmo sem a função no sentido de ser o único “mediador” para pedir perdão dos pecados a Deus que eram oferecidos em forma de sacrifícios pelos homens. Lutero defendeu a idéia de que cada crente ou salvo tivesse esse privilégio, ou seja ele mesmo podia apresentar os seus pedidos de perdão diretamente a Deus sem precisar de um intercessor, exceto Cristo.

Meus amados, precisamos resgatar nesse tempo que se chama hoje esse pilar da Reforma. Precisamos reavaliar como temos exercido o nosso sacerdócio. Precisamos crer que o Senhor Jesus está assentado à destra do Pai intercedendo por nós, e que temos assegurados o direito e a herança do livre acesso ao Seu trono de glória . Precisamos ser ousados em nossas súplicas e orações. Caso contrário precisaremos de uma nova Reforma dentro da Reforma Protestante!

Que o senhor nos abençoe!

E que nessa semana de comemoração do aniversário da Reforma Protestante vivenciemos e reflitamos o que os reformadores vivenciaram e que já pagaram por nós!


Em Cristo Jesus o nosso Sumo Sacerdote para sempre!

Autor

Pr. Edinaldo Barcelos dos Reis

Pastor da Igreja Batista da Fronteira – Macaé/RJ

28 de outubro de 2011 0 comentários

Semana da Reforma #003

Por uma reforma constante

Tempos difíceis, em que o povo cada vez mais se afasta de Deus, mesmo estando sempre presente no templo. Em que lideres religiosos se comportam, com toda a sua excentricidade, acima dos ensinamentos e doutrinas do próprio Deus. Tempos de igrejas cheias de gente e vazia de conteúdo.

Mas que tempo é esse?

Poderíamos pensar no século VII antes de Cristo, quando Ezequias, rei de Judá, influenciado pelo profeta Isaías, promoveu uma grande reforma religiosa no seu reino, reabrindo as portas do templo, promovendo a purificação daquele espaço santo, restabelecendo o culto ao verdadeiro Deus, abolindo assim a idolatria e restaurando a vida espiritual de um povo que caminhava apressadamente para o que viria o cativeiro babilônico.

Mas que tempo é esse?

Poderíamos pensar no século XVI, quando Lutero se posicionou contra os desmandos da Igreja Romana, e encabeçou o movimento que ficou conhecido como Reforma Protestante. Esse movimento que historicamente marcou o inicio das igrejas não subordinadas a liderança do Vaticano, trouxe ao homem a percepção que verdadeiramente o véu se rasgou e que cada um dos fiéis de fato é um sacerdote perante Deus.

Mas que tempo é esse?

Poderíamos pensar no século XXI, onde eu e você temos visto um (um? Infelizmente vários) evangelho que caminha a passos largos para se transformar (se já não é) numa verdadeira “Torre de Babel”. Homens têm voltado aos templos cada vez mais cheios, não para adorar, mas para adquirir objetos sagrados que irão de uma maneira ou outra lhe conceder bênçãos e prosperidade.

Em nosso tempo, precisamos de novos Ezequias, de sucessores de João Wicliff, João Hus, Zuinglío, Knox e Martinho Lutero. Precisamos de um evangelho verdadeiramente puro que provoque em cada um de nós um quebrantamento em direção a verdadeira essência da vida: Deus.

Autor

Pr. José das Neves Oliveira

Pastor Auxiliar da PIB em Arraial do Cabo/RJ

27 de outubro de 2011 0 comentários

Semana da Reforma #002

REFORMA PROTESTANTE

Quando penso na Reforma Protestante reporto-me à necessidade de retorno à Palavra de Deus. Foi esta a proposta de Martin Lutero que, com suas teses, mais de noventa, argumentava da necessidade premente de voltar à Palavra Santa. Neste propósito ele foi irredutível em sua fé e não se abalou em sua convicção de seguir os caminhos estabelecidos pelo “Logos”, pela Palavra divina e pelos conselhos bons do Senhor da Igreja.

Hoje, nos os pastores e líderes da igreja do Senhor Jesus, temos como obrigação seguir as Escrituras Sagradas, porque ela é a luz dos nossos caminhos. Seguir as Escrituras é seguir os passos do Senhor Jesus, a cabeça da igreja santa.

Neste propósito temos que ser irredutíveis em nossas convicções cristãs, sustentadas pelos joelhos dobrados na comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo de Deus, porque a cada dia surgem tendências materiais no âmbito da igreja do Senhor. Não podemos nos deixar levar por tendências e novidades humanas na condução dos caminhos celestiais da igreja santa. Como servos obedecemos e seguimos as orientações dos seus ensinamentos.

Sejamos irmãos, pastores e líderes inabaláveis em nossa fé apostólica, bíblica e neotestamentária, na observação dos mandamentos, preceitos e ensinamentos do nosso Senhor e Salvador na intermediação do Espírito Santo de Deus que nos conduz nos caminhos certos da proposta do Pai Eterno. Amém!

Autor

Pr. Sebastião Augusto da Silva

Pastor Titular da SIB em Búzios/RJ e Missionário Mobilizador da Junta de Missões Mundiais da CBB

26 de outubro de 2011 2 comentários

Semana da Reforma #001

Mudar? Pra Quê?



Não é difícil sentir vergonha do evangelho. Mas do evangelho com "e" minúsculo. Na verdade, um pseudo-evangelho, muito diferente do Evangelho de Cristo. A Igreja, ou melhor, as igrejas têm negligenciado o cumprimento de sua missão no mundo: transmitir e demonstrar Jesus.

Quando anunciam, o fazem distorcendo a mensagem, na maioria das vezes.

Muitas igrejas se apresentam como um vereador oferecendo favores, empregos, obras e benefícios em troca de apoio financeiro e votos para o prefeito em campanha, nesse caso, Deus!

Ainda utilizando o exemplo da politicagem eleitoreira, é triste constatar que por mais que no Brasil haja separação entre Igreja e Estado, está cada vez mais fácil de perceber semelhanças entre os jogos e armações políticas seculares e o dia-a-dia das chefias e coordenações eclesiásticas da nação.

A essência da mensagem é raridade aos olhos e ouvidos. Esta realidade é de fácil constatação nas inúmeras igrejas, espalhadas pelas esquinas, disputando prédios para alugar; e nos programas de TV Gospel, onde o Evangelho se tornou uma lucrativa mercadoria, e Deus, apresentado como um generoso comerciante, tendo a igreja como sua representante comercial.

A concorrência, natural entre revendedores comerciais na busca por uma maior comissão é o claro retrato do que ocorre entre as instituições religiosas. Como vendedores desesperados, as igrejas oferecem descontos e vantagens em troca de preferência no mercado. É claro que com essa tática de diminuir os "preços" a serem pagos pelas futuras ovelhas, é necessário que se tenha mais "fregueses" para se obter o lucro, que é o objetivo principal do vendedor, certo? Diminui-se então a qualidade do produto, o Evangelho.

Simples solução. Qualidade? Não! O que interessa é a quantidade.

Se Martinho Lutero escandalizou-se tanto com a perversidade, a corrupção e com a distância entre o Evangelho da Bíblia e o que via na prática da Roma do século XVI, como ficaria se estivesse diante da realidade cristã atual? Não faria uma reforma, mas tentaria demolir todo o "prédio" evangélico!

Tarefa que seria muito difícil, pois apesar da podridão do conteúdo, da base e da estrutura, o monumento arquitetônico gospel possui uma excelente aparência; simples engodo, fachada! Mas torna-se difícil convencer alguém a reformar uma construção que parece tão bela, tão estruturada. Pra quê mudar? Mudar dá trabalho, e de trabalho já basta o de ter que enganar o povo e sustentar esse evangelho da marcha ré, como diz o poeta João Alexandre.

As novas indulgências estão à disposição de quem puder pagar. Salvação? Você pode ter; claro, se ofertar e estiver em dia com o carnê. Mas, cuidado! Se o pagamento estiver atrasado, a salvação está suspensa, pois você não foi fiel. Jesus volta e você fica. De graça, só a unção com azeite, isso se o "sacerdote" estiver com pouca ambição no dia. Absurdo!

A velha simonia reina nos gabinetes dos executivos religiosos, à espera de quem deseja servir, digo, ser servido pelo Reino de Deus.Afinal, ser pastor, bispo, apóstolo dá muito dinheiro, em um mercado de trabalho em franca expansão que nem exige concurso público. Fácil, não? Grave e revoltante realidade!

Amigos, não podemos sozinhos mudar tudo, mas devemos manter a esperança anunciando a simplicidade, a pureza, e, sobretudo, a graça do Evangelho de Jesus Cristo. Parafraseando Martin Luther King Jr, o preocupante não é o discurso dos ímpios e perversos, mas o silêncio e a omissão dos que conhecem a Verdade.

"Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê..." Romanos 1,16.

Autor

Pr. Leonardo Davi Santana

0 comentários

Semana da Reforma


Para celebrar o dia da Reforma Prostestante (31.10), iniciaremos no blog a #SemanaDaReforma. Diariamente, postarei textos de amigos e colaboradores abordando o tema. Particpe.
23 de outubro de 2011 1 comentários

"Será que a Globo vai montar uma Igreja Evangélica?" Por Vital Sousa

“Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo"
(Gálatas 1:10b)

Bom domingo.

Passei alguns domingos sem trovas por questão de saúde.
Sempre é necessário renovar-se... e descansar.

São tantos acontecimentos no dia a dia.
São tantas notícias.
Steve Jobs, Dilma, Gaddafi, Cristina Kirchner, Orlando Silva e o PCdoB.
São tantas histórias e estórias

Mas, nada superou a notícia da Globo em fazer um Festival Evangélico em dezembro/2011, Especial de fim de ano, gospel.
Recentemente um jornalista me confidenciou que um empresário, não evangélico, financia duas grandes revistas evangélicas que ele administra.

Com o surgimento das igrejas neopentecostais o mundo empresarial tem se debruçado neste dinheiro novo, como se o Evangelho fosse um simples bom negócio.
Vamos ganhar dinheiro com os crentes...
Afinal todo mundo quer ganhar dinheiro.
E o dinheiro novo mantém até uma grande rede de televisão...

Sem dúvida sempre tivemos empresários querendo fazer negócios no meio evangélico, mas, agora é diferente.
Os empresários crentes, pelo menos, se diziam evangélicos, alguns não se comportavam como, mas, faz parte, como sentenciou o filósofo do Big-Brother.
Outros, chamados de executivo-primário, jogaram no lixo montanhas de dinheiro e excelentes empreendimentos do povo evangélico.
Outros transformaram pequenos empreendimentos em grandes empreendimentos, mas, estes eram executivos por excelência...

Mas... agora é negócio secular, simples e cru.
A Globo resistiu o quanto pode, mas, quer um pedaço bom da fatura, também.
Hoje já se sabe que os evangélicos vendem mais do que os outros gêneros da música
E com muito menos pirataria...

O que mais preocupa é que os empresários de fora também podem montar suas igrejas-empresas
Se os pastores e bispos transformaram as igrejas em grandes negócios, por que eles não podem? Ora... pequenas igrejas, grandes negócios...
É só entrar com a grana e os testas de ferro, marqueteiros travestidos de pastores.

E onde entra o Espírito Santo nisso?
A indignação de Cristo em repudiar negócios na casa de Deus foi em vão?

Como é o novo filão do mercado...
E como a concorrente se deu bem...
Fica a pergunta, triste, mas, verdadeira:
Será que a Globo vai montar uma igreja evangélica?
Festival Promessas do fim de ano é só a “congregação” ou “campus” para os modernos?

A nova era das igrejas híbridas está chegando ao Brasil antes do que imaginávamos... o que vale mesmo é o bom negócio.

Misericórdia!

Vital Sousa
Texto extraído do site: www.vigiai.net
19 de outubro de 2011 0 comentários

Pão do Dia #007

"Tu me farás conhecer a vereda da vida, a alegria plena da tua presença, eterno prazer à tua direita."
Salmos 16:11

Bom dia!
Em meio as tempestades que vivemos, por diversas circunstâncias permitimos que o desânimo tome lugar em nosso coração. E como sofremos quando nos encontramos neste estado. Desanimados, tristes, aflitos, super preocupados.
Por momentos, parece até que a nossa vida é nossa. E quando lemos o texto citado acima, começamos a entender que está é a oração que o Senhor deseja que façamos em todos os momentos.
Só Ele, pode nos fazer conhecer o verdadeiro caminho da vida. E na Sua presença, há alegria plena e eterno prazer!

A presença do Senhor nos revigora!

Deus te abençoe!


7 de outubro de 2011 0 comentários

Bate Papo Jovem

Queridos, como parte da programação do III Congresso Jovem da PIB Búzios, estará acontecendo amanhã a partir das 15 horas o Bate Papo Jovem. Estarei presente. E tenho certeza que será muito interessante receber você conosco neste dia. É a hora de perguntar ao pastor tudo aquilo que você tem vontade de perguntar e ainda não perguntou. Orem por mim (kkk).
Estarão presente também, o Pr. Gérson e o Pr. Roberto Laurindo.

Estaremos abordando o tema: RELACIONAMENTO. E o assunto se desdobrará em 3 partes:

1ª) RELACIONAMENTO com DEUS;

2ª) RELACIONAMENTO com IGREJA;

3ª) RELACIONAMENTO com PRÓXIMO.



Te espero lá!
Deus te abençoe!
5 de outubro de 2011 0 comentários

Princesa ou Mendiga? #EscolhiEsperar

Era uma vez…

Um reino distante. O Rei Pedro Augusto era famoso devido ao amor que demonstrava pelo seu povo. O resultado desse amor era a justiça com que governava. O rei perdera sua esposa há alguns anos , sendo assim, lhe coube a educação de suas duas filhas, as princesas Rebeca Liana e Helena Maria. Rebeca e Helena se davam bem. Aprenderam desde cedo o valor da palavra “dividir” e graças ao seu pai, também aprenderam o valor da palavra amor. Certamente, elas foram criadas rodeadas de riquezas, poder e qualquer coisa que queriam estava ao seu alcance. Mas o rei não permitia isso. Ele sabia, que de certa forma, tanta riqueza, fortuna, poder, acabaria estragando suas filhas. Ele queria o melhor para elas e por isso as protegia. Não permitia que elas saíssem do palácio, não queria que elas conhecessem o mundo, pois ele sabia que lugar feio e horrível era esse. Sabia que lá, elas se machucariam e sabia que lá, elas não poderiam ouvir a sua voz.

Mas, Rebeca um dia, se rebelou. Cansada de ser protegida pelo seu pai, ela quis conhecer o mundo. Queria conhecer algo que pensava não conhecer, o amor. Ali, protegida pelo seu Pai, não havia ainda conhecido os prazeres desse mundo. Não havia ainda se apaixonado, não tinha conhecido nenhum homem capaz de arrebatar o seu coração. Em busca do amor verdadeiro, fugiu. E de fato, ela conheceu o mundo. Conheceu rapazes e quando ela pensou que havia encontrado o amor verdadeiro, descobriu que na verdade, encontrara a paixão. Ela tentou correr para outro rapaz; e suas tentativas novamente foram frustradas. Cada vez, ela se machucava. Cada vez, seu coração sangrava mais e cada vez, ela se afastava mais de seu Pai.

Com vergonha de voltar para casa, com vergonha que seu Pai, tão amoroso a visse nesse estado, ela desistiu. Desistiu de correr atrás do amor. Cansada de se machucar, sentou em uma pedra e chorou, chorou como nunca chorara antes. Ela sabia que estava carregando os pedaços do seu coração. Em meio ás suas lágrimas, ela ouviu passos. “Não, Ele não. Qualquer pessoa menos Ele! Ele não pode me ver assim.” Pensara consigo. E para a sua surpresa, o Rei, seu Pai, viera busca – lá. Ela com vergonha, Ele com amor. Foi ai que ela começou a entender muitas coisas. Que o amor que ela queria conhecer, ela já conhecia, o amor do seu Pai. E Este, prometeu que ela ainda saberia o que é o amor de um homem por ela, mas não um homem qualquer, um príncipe. Ele contou a ela, e ela entendeu, que, era por isso que ela estava protegida no palácio, para que não se machucasse, para que o cara certo e na hora certa, pudesse chegar até ela, mas ele teria que passar pelo Rei primeiro. Então a princesa Rebeca, descobriu que encontrara o amor verdadeiro, incondicional e eterno. O amor de seu Pai.

“O coração de uma mulher deve estar tão escondido em Deus, que o homem deve procurar a Deus a fim de encontrá-lo.” Max Lucado

Quem você tem sido, garota? Uma princesa que espera e descansa em seu Pai, sabendo que no tempo certo, Ele vai te trazer o cara certo, ou você tem sido uma mendiga, saindo por esse mundo afora, em busca do amor? Em busca do tal “amor verdadeiro”? Ou correndo atrás de um rapaz, e depois de outro e mais outro? Tem se comportado como uma mendiga correndo atrás do amor de alguém, que no fundo você sabe que não é o príncipe certo para você?

A escolha é sua. Ser princesa ou mendiga.

*Dedico esse texto à todas aquelas garotas que eu tenho aconselhado.

Com amor

Pati Geiger

Meu twitter: @patigeiger

Meu blog: Ideias no forno

Meu facebook: Pati Geiger


*Artigo extraído do site Escolhi Esperar.


0 comentários

III Congresso Jovem PIB Búzios



TEMA:

É Necessário MORRER para que haja VIDA.


DIVISA:

“Porque já estais mortos e a vossa vida está escondida com cristo, em Deus.”

(Colossenses 3:3)






PROGRAMAÇÃO

SEXTA:

Abertura

Ministério Jovem PIBBÚZIOS

Ministério de Coreografia da PIBBÚZIOS

Pregação: Pr. Roberto Alcantara Laurindo


SABADO :

Dia de lazer + Bate Papo Jovem

Noite:

Banda da Juberj

Ministério de Coreografia Pibbúzios

Pregação: Pr. Roberto Alcantara Laurindo


DOMINGO : (Manhã e Noite)

Banda da Juberj

Pregação: Pr. Roberto Alcantara Laurindo

3 de outubro de 2011 0 comentários

Sua Vida, Impacto Para a Nação?

O dicionário define a palavra “impacto” como sendo: “Choque, embate, encontrão; Choque de um corpo em movimento com outro em repouso; Choque emocional; expectativa.”

A campanha de missões nacionais deste ano tem como tema: “Minha Vida Impacto Para a Nação”, em contrapartida gostaria de perguntar aos amados: Sua vida tem sido um impacto para a nação?

Temos nos acostumado a pregar o evangelho às pessoas. Sim! O que deveria ser natural na vida de um cristão se tornou um mero costume. Quando vivemos para Cristo, andamos na contramão do sistema. Impactar é gerar esse “choque”. Se minha vida é um impacto para a nação, o meu viver trará um verdadeiro “choque” à vida das pessoas ao meu redor. Não somente com o Evangelho proclamado, mas com o Evangelho vivido. Refletido nas atitudes. A Palavra na vida, e a vida na Palavra! Vivamos o Evangelho e juntos, vamos impactar a nossa nação.


Deus nos abençoe.

Seu servo,

Pr. Ciro Mendes Freitas

28 de setembro de 2011 0 comentários

Meditações Unijovem #008

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” Mateus 7:21

Na Igreja, muitas vezes, "adoramos" ao Senhor como se fosse um hábito e, em alguns casos, há aqueles que parecem estar "cheios da unção". Cantamos e louvamos como se tudo estivesse vindo do nosso coração, mas, na verdade para alguns não é bem assim. Deus nos chama para uma intimidade maior com ele, uma vida que o glorifique independentemente do lugar que se esteja!

Com nossos pais, em casa, muitas vezes, há desobediência e rebeldia. Na roda entre amigos, fica ainda mais difícil enxergar a pessoa que diz seguir a Palavra, por medo de não ser aceito pelo grupo ou por ser visto como careta, além de se calar se coloca da mesma maneira dos outros com conversas desagradáveis aos olhos de Deus.

Com essa “dupla personalidade” começamos a deixar de ter compromissos com aquilo que é do Senhor. Nos afastamos da Igreja, da leitura bíblica e, conseqüentemente, o pecado marca nossas atitudes com forte presença já que desfocamos do nosso alvo, que é Cristo.

Triste é quando deixamos a nossa fé esfriar e, a partir daí, nos tornamos um crente morno, e relacionado a isso, está na Palavra : “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.” Apocalipse 3:16. Muitos de nós, portanto, que dizemos ser cristãos devemos ficar atentos ao nosso comportamento fora da casa do Senhor porque, ali, sim, mais firmes na Palavra, ainda, devemos ser e deixar o Pai aquecer o nosso coração!

“Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.” Romanos 8:19


Autor

Jordana Ferreira

Ministério Atitude Radical da PIB em Morro do Coco
27 de setembro de 2011 3 comentários

Primeiro e-mail de Paulo a Timóteo

Recebi hoje este e-mail e considerei relevante o suficiente para compartilhar!

Escrevi esse email pra você assim que cheguei aqui a Macedônia. Não havia conexão wi-fi disponível e eu tive que usar o meu 3G (que por sinal não pega muito bem por aqui), mas a minha preocupação com você e com a sã-doutrina foram maiores que tudo isso. Portanto, seguem alguns conselhos que lhe poderão ser úteis nessa árdua missão que te dei (apascentar a igreja de Éfeso), e que você aceitou com louvável coragem.

Os conselhos que se seguem, peço a você que guarde, de preferência numa PST do seu Outlook dedicada aos meus emails. Não seria de bom grado mantê-los armazenados na mesma caixa de entrada onde você recebe todos os dias aqueles malditos spams e correntes. Isto posto, meu amado filho na fé, vamos aos
conselhos e dicas:

· Ordene a certas pessoas que não mais ensinem doutrinas falsas, e que deixem de dar atenção a mitos e genealogias intermináveis, que causam controvérsias em vez de promoverem a obra de Deus, que é pela fé.

· Lembre-se de que o objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera. Mantenha a fé e a boa consciência que alguns rejeitaram e, por isso, naufragaram na fé. Entre eles estão @Himeneu e @Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não tuitar coisas impróprias.

· Recomendo a você que façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda dignidade. #FICADICA

· É importante que você chame atenção das mulheres para se vistam modestamente, com decência e discrição, não se adornando com tranças, nem ouro, nem pérolas, nem roupas caras, mas com boas obras, como convém a mulheres que professam adorar a Deus.

· O bispo deve ser irrepreensível, marido de uma só mulher, sóbrio, prudente, respeitável, hospitaleiro e apto para ensinar; não deve ser apegado ao vinho, nem violento, mas sim amável, pacífico e não apegado ao dinheiro.

· Os diáconos igualmente devem ser dignos, homens de palavra, não amigos de muito vinho nem de lucros desonestos. Devem apegar-se ao mistério da fé com a consciência limpa. Faça um teste com ele primeiro; depois, se não houver nada contra eles, que atuem como diáconos.



Filho, estou escrevendo estas dicas pra você, mas espero ir vê-lo em breve. Porém se eu demorar, fique sabendo que é dessa forma que as pessoas devem se comportar em uma igreja.

Assim que eu tiver um tempinho aqui, escrevo mais pra você.

Qualquer coisa, me acompanhe pelo Twitter (@apostolopaulo) e não se esqueça de me adicionar no Facebook.

Em Cristo,

Apóstolo Paulo



*Os conselhos usados aqui para criar a conjectura do email foram retirados da Primeira Epístola de Paulo a Timóteo. Os trechos utilizados são dos capítulos 1, 2 e 3. Obviamente, e por motivos de força maior, não houve a permissão do autor da carta a Timóteo para exposição de seu conteúdo, bem como a manutenção da confidencialidade do email.
**Este artigo é de autoria do Thiago Ibrahim.
26 de setembro de 2011 0 comentários

Ex-padre é batizado na Itália

O ex-sacerdote da igreja católica Luca De Pero foi batizado neste último sábado (24), numa praia em Cesena/Itália, pelo Pr. Fabiano Nicodemo, missionário da Junta de Missões Mundiais. O batismo era aguardado com muita expectativa. O ex-padre foi excomungado pelo bispo da região de Monte Cerignone e chamado de herege. Sua família também o abandonou acusando-o de agora pertencer a uma seita protestante.


Além do ex-padre, também a jovem Eliza e o casal Gioachino e Maria Roza Gandolfi, que eram líderes na mesma paróquia, deram sua pública confissão de fé em Jesus por meio do batismo. A cerimônia foi marcada por muita emoção, tanto dos irmãos batizados quanto da Igreja Evangélica Batista de Cesena e outras igrejas ali representadas.


O novo padre da paróquia Beato Domenico, da localidade de Monte Cerignone, onde Luca ministrava, havia pedido para que ninguém fosse ao batismo, entretanto, muitos amigos de Luca estiveram no culto.


Os dias que antecederam à cerimônia foram de muita pressão para esses novos crentes. A jovem Eliza, que era uma das catequistas da paróquia, chegou a ser ameaçada de morte pela própria mãe.


O culto aconteceu na tenda de um clube localizado na beira da praia. Cerca de 300pessoas estiveram presentes. Os que seriam batizados deram breves e emocionados testemunhos da transformação que Jesus fez em suas vidas. O mensageiro foi o Pr. Fabiano Nicodemo, que pregou sobre o texto de João 3.1-13. Citando a história de Nicodemos, disse que as tradições religiosas não transformam as pessoas nem a religião salva o homem. Ao final, seis pessoas se decidiram por Cristo, algumas delas eram da mesma paróquia onde Luca De Pero era padre. Os batismos foram realizados no Mar Adriático.


Luca De Pero se converteu em 2008, mas continuou realizando os serviços na igreja católica. No ano passado, procurou o Pr. Fabiano Nicodemo e foi discipulado pelo missionário. Em agosto, anunciou o rompimento com a igreja católica, quando então começou a pressão por parte do bispo da região de Cesena. Ele foi procurado pelo clero católico e instado a abandonar a ideia de "se tornar protestante". A história de Luca ganhou destaque na imprensa local. Na semana passada, vários jornais o procuraram para falar um pouco mais sobre o caso.


A conversão é uma prova do que Deus está fazendo na Itália. A chegada desses novos irmãos deu um grande renovo à igreja em Cesena e um grande ânimo ao trabalho missionário no campo italiano.


Veja mais fotos: www.flickr.com/photos/chiesabattistacesena

Notícia extraída do site da Junta de Missões Mundiais
25 de setembro de 2011 0 comentários

Meditações Unijovem #007

Deus tem o melhor
para você

Em Gênesis 15 podemos observar Abraão desanimado, triste e “escondido” em sua tenda. Não vou afirmar que ele esta com depressão, mas o quadro esta dando os indícios de que ele precisava de ajuda, então, é justamente neste momento que entra o Senhor animando-o e lhe fazendo mais uma promessa. Tudo que ele precisava, para uma pessoa deprimida, escondida, desanimada e sem perspectivas, uma promessa, um motivo para voltar a ter alegria para viver, Deus lhe promete um filho. O problema é que o “tempo” é um fator que nós não sabemos administrar muito bem, e fazemos tudo errado, e às vezes tentamos dar uma “ajudinha” a Deus, e tornamos o que era para ser benção em maldição.

No cap. 16 sua esposa Sara atendendo ainda por Sarai, vai dar a “ajudinha”, e diz para seu esposo deitar-se com Agar sua serva (ainda que Sara estivesse amparada por uma lei, não era esse o plano do Senhor), e esta lhe dá um filho, Ismael, e podemos ver ate os dias de hoje a briga entre os ismaelitas e israelitas.

Este é o quadro de nossa juventude hoje, jovem com promessas de Deus para suas vidas, escolhidos para herdarem a TERRA (céu), chamados para serem BENÇÃOS, mais que vencedores e santos, mas a impaciência e imediatismo têm levado os nossos jovens a se satisfazerem com seu “Ismael”, e deixando de lutar por seu “Isaque”. Juventude essa que para terem uma vida sexual ativa, buscam um casamento precipitado, sem amor, baseado em desejos e egoísmo. Juventude que não tem um namoro santo, evolvida em pornografia, drogas e bebidas.

Vamos esperar no Senhor, aguardar o seu melhor e lutar contra as armadilhas do diabo, não devemos nos satisfazer com o nosso “Ismael”, mas esperar o tempo do “Isaque” chegar, pois fora do tempo certo, não temos estrutura física, psicológica, emocional e espiritual para receber o melhor de Deus.

Pense nisto, pois, Deus tem o melhor para você!!!

Que o Senhor nos abençoe e use a nossa geração de forma poderosa!


Autor

Dieckson Santos de Oliveira

Seminarista na Igreja Batista Memorial em Morro do Coco

24 de setembro de 2011 1 comentários

O Cheiro do Pastor

Outro dia, meditando sobre algumas questões do ministério pastoral, me veio a mente uma frase conhecida de todos nós: "O pastor tem que ter cheiro de ovelha". Apesar de desconhecer o autor, aprendi algumas lições importantes por meio desta afirmativa.

Já tive a oportunidade de atender algumas pessoas do campo, algumas que creio eu, tinham acabado de sair do seu local de trabalho. Quando elas chegavam até mim, nem era necessário perguntar a profissão...pelo cheiro percebia que se tratava de um boadeiro, por exemplo. Pois quem trabalha cuidando de gado, fica com o cheiro do gado impregnado...o cheiro exala do seu próprio corpo e roupas.

Atualmente vivemos um momento de crise no ministério pastoral. Há alguns pastores que acreditam ser possível pastorear "sem sair de casa", sem ter contato com as ovelhas. Um pastor precisa ter cheiro de ovelha, precisa estar com elas em todo tempo a ponto de exalar seu cheiro em suas vestes.

É ilusória a ideia de "pastoreio a distância". Lugar de pastor é no campo, ajuntando, cuidando, tratando cada uma das ovelhas do seu rebanho.


Sei, que para nós pastores, é um grande desafio! E que seja!
O campos nos aguarda!

23 de setembro de 2011 1 comentários

Meditações Unijovem #006

Vida nas trevas...

Quando apagam a luz repentinamente, vem aquele desespero por não conseguir enxergar, aquela vontade que querer ver, mas não poder... E com o tempo acabamos nos acostumando com a escuridão, e levamos tropeções e alguns machucados com a ausência da luz, e acabamos conseguindo enxergar, bem pouco.

Também é assim na nossa vida com Deus, quando estamos na presença dEle e pecamos, vem o desespero, o arrependimento, e procuramos não cometer o mesmo erro afim de não magoar a Deus, mais caso contrario, quando continuamos a pegar, acabamos nos acostumando com as trevas, acabamos nos anestesiando com o pecado, e muitas coisas não dão certo na nossa vida, pois não temos mais a benção de Deus.

Mas Deus, em sua infinita bondade espera o momento que reconheçamos nosso erro e nos voltemos para Ele (Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Isaías 1:16), portanto devemos nos manter longe do pecado (Abstende-vos de toda a aparência do mal. 1 Tessalonicenses 5.22), devemos buscar nossa força no Senhor (porque a alegria do SENHOR é a vossa força. Neemias 8:10)

É preciso entender que Deus não te levará a serio, se você brinca de pecar! E isso só acontece quando temos o verdadeiro encontro com Deus, quando o buscamos verdadeiramente (E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Atos 2:21). Porque quando aceitamos a Cristo, deixamos a nossa velha natureza e nascemos de novo (Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 2 Coríntios 5:17). Jesus morreu por você então viva com Ele!

Autor

Stephanie Cabral

Unijovem Segunda Igreja Batista em Búzios

 
;